Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

DIVAGAR DEVAGAR-2

Na lonjura do horizonte a busca etérea da luminosidade espiritual...da doçura do sonho, às agruras da realidade.Palavras e imagens que, devagar, divagam entre ignotas luzes, sombras e penumbras, de ciclos de vidas incertas e perdidas.

Na lonjura do horizonte a busca etérea da luminosidade espiritual...da doçura do sonho, às agruras da realidade.Palavras e imagens que, devagar, divagam entre ignotas luzes, sombras e penumbras, de ciclos de vidas incertas e perdidas.

Momento Poético - 62

 

parto1.jpg

 (pintura da artista canadiana Amanda Greavette)

 

Nascido a cinco de outubro

 

Naquele tempo a vida pé ante pé

penetrava portas dentro

e brotava em jorros de luz e riso

entre doces explosões

de mãos e corações entrelaçados

como se a morte fosse coisa nenhuma

e o parto o néctar dos lares.

 

No silêncio pastoso de vozes e olhares furtivos

por detrás de frestas e reposteiros  

murmurando ladainhas de expectativa e medo

entre gritos freneticamente

abafados por anseios

e perdidos nas mordeduras de dentes famintos

nasci a cinco de outubro

domingo beijado por festa republicana.

 

O primeiro vagido triunfante

lançou-me às pétalas dos quatro ventos

nos instantes em que se entoavam

nos sóbrios claustros dos conventos

as matinas das oito horas

segundo o vade-mécum

e memórias de minha mãe.

 

Visionários crentes e anónimos

intérpretes de estrelas cadentes

e cometas vadios

olhos sonâmbulos do planeta

horoscopizaram-me entre pratos de balança  

ano de graças e desgraças de 1952.

Predestinaram-me sem destino

vagabundo dum mundo funesto

com o fado a traçar a bissectriz

numa soma de vidas sem resto.

 

Mirando paredes de suor frio

construído por bafos de dor

e lágrimas de prazer

senti as agulhas da luz do dia

no meu rosto coberto

de pingentes amnióticas

resquícios do ninho de maturação.

Senti o riso e o silêncio abafado das pessoas

o movimento anacrónico das portas

o ruído da cama e das cadeiras

e o cadenciado marulhar das horas.

 

Ouvi ou então sonhei

Um grito ridente e de espanto

“tem pila…é rapaz!...”

Segundo da prole

nimbado de boas  e rijas carnes

inteiro na essência

fruto da combustão de amores ardentes

tecido entre o emaranhado

de farrapos, tesouras,  linhas e agulhas.

 

Narinas escancaradas

senti ou sonhei

o aroma da nicotina e do café

o cheiro suado dos corpos

o mofo enjoativo das roupas

o odor irritante das bolas de naftalina.

 

Senti depois

que a curiosidade alheia

se diluiu por detrás das portas e cortinas

levando consigo

as litanias e benzeduras

num metálico rasto

de palavras silenciosas.

deixando a ternura a doçura e a paz

na mansidão do meu berço.

 

Minutos depois

num arrebatamento amoroso

fundido ao peito materno

senti e respirei

a volúpia afetuosa

dos primeiros prazeres da carne.

 

(batista_oliveira - 05/10/2017)

2 comentários

  • Imagem de perfil

    batista_oliveira 08.11.2018 12:24

    Obrigado amiga,
    um beijo de sincera amizade e votos de muita saúde.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Sigam-me

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2010
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2009
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2008
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2007
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2006
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D